CAMPANHAS

Áreas das campanhas EMEPC no âmbito do Projeto de Extensão da Plataforma Continental

EXPLOSEA 2 - 2019

A expedição, a bordo do navio “B/O Sarmiento de Gamboa”, promovida pelo Instituto Geológico e Mineiro de Espanha (IGME) em parceria com a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC), no âmbito do projeto EXPLOSEA decorreu de 11 de junho a 27 de julho com o objetivo de  explorar emissões de fluidos e mineralizações no fundo do mar assim como os sistemas geológicos e biológicos associados. 
A equipa liderada por Luis Somoza, Professor investigador doIGME, levou a bordo o ROV Luso da EMEPC e uma equipa multidisciplinar de investigadores de ambas instituições, aos quais se juntaram investigadores de outras instituições portuguesas, espanholas e alemãs (INVOLCAN, IHM, Universidades Complutense, de Göttingen e dos Açores-IMAR).
Com este objetivo, foram realizados 20 mergulhos com o ROV Luso, um extenso levantamento batimétrico e a realização de perfis de CTD na coluna de água que permitiram medir parâmetros físico-químicos da água do mar como a salinidade, a temperatura e  pressão, a fluorescência ou as correntes. Os mergulhos com o ROV Luso permitem explorar o fundo do mar, recolher amostras geológicas, biológicas, de água e dados físico-químicos em tempo real, assim como gravar  vídeos de alta resolução e registar em imagem as zonas de interesse.
Durante os 40 dias de mar e mais de 9.500 km de navegação, foi possível observar e amostrar o Campo Hidrotermal Moytirra assim como explorar áreas ao longo da crista média Atlântica, onde potencialmente poderá existir atividade hidrotermal. Foram também alvo de recolha de amostras de geologia e biologia, vários montes submarinos e os seus habitats profundos na área de extensão da plataforma continental de Portugal e na proximidade das ilhas açorianas, até profundidades de 3000 metros.
A campanha permitiu descobrir um jardim de corais moles, localizado ao largo do vulcão dos Capelinhos, na Ilha do Faial, formado após a devastadora erupção em 1957-58. Foram também identificados sinais de atividade hidrotermal num campo de chaminés inativas de natureza carbonatada, possivelmente relacionado com a emissão de fluidos resultantes da alteração de rochas mantélicas. 

 

Saiba mais sobre a campanha Explosea2

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EXPLOSEA 2

EMEPC/PEPC/LUSO/2016

A 2 de setembro de 2016, teve início a campanha oceanográfica EMEPC/PEPC/Luso/2016 com o objetivo de recolher novos dados para reforçar a proposta de extensão da plataforma continental portuguesa para além das 200 milhas marítimas, entregue a 11 de maio de 2009 nas Nações Unidas. As áreas alvo desta campanha oceanográfica foram a cadeia de montes submarinos localizados a sul do Arquipélago Açores e a Zona de Fratura Hayes no flanco Este da Crista Medio-Atlântica.
A campanha contou com o ROV Luso a bordo do N.R.P. Almirante Gago Coutinho. O ROV LUSO é um robot submarino operado remotamente, adquirido pela EMEPC em 2008, que tem sido uma ferramenta fundamental para a para a recolha seletiva de amostras do fundo marinho, para a captação de imagens de alta definição que permitem, entre outras coisas, desenvolver o conhecimento existente sobre a biodiversidade marinha e os ecossistemas do mar português.
A EMEPC tem sempre presente a importância da multidisciplinariedade nestas campanhas tendo a bordo uma equipa de cientistas de formação diversificada, integrada pela EMEPC e por outras instituições nacionais e internacionais, nomeadamente, do IPMA e das universidades dos Açores, de Lisboa e do Porto e da Universidade de Viena, que cobre várias áreas científicas como a geologia, a macro e microbiologia, a oceanografia, a química e a hidrografia, assim como a equipa de pilotos do ROV LUSO.
O fato da EMEPC conseguir realizar estas campanhas regularmente e de ter uma equipa de pilotos cada vez mais experiente, tem permitido transformações no ROV LUSO que vão ao encontro das necessidades solicitadas dos cientistas. Nesta campanha foi estreado um novo skid desenvolvido em colaboração com o CEiiA que permite a recolha de mais amostras e uma maior versatilidade durante os mergulhos, assim como foi instalada uma máquina fotográfica de alta definição operada pelos cientistas. Durante a campanha, e após termos conseguidos os nossos objetivos junto à Crista-Médio Atlântica, a missão foi abortada por motivos técnicos alheios à EMEPC, pelo que fomos obrigados a regressar a Lisboa. Desta forma a recolha de dados nos montes submarinos a sul dos Açores foi adiada para uma nova ocasião.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/PEPC/Luso/2016

EMEPC/PEPC/LUSO/2015

A campanha EMEPC/PEPC/LUSO/2015 decorreu entre os dias 25 de maio e 3 de junho, ao largo de Portugal Continental e a bordo do NRP "Almirante Gago Coutinho", dando continuidade à recolha de dados do mar profundo português com recurso ao ROV Luso iniciada em 2008.
Para além de um maior conhecimento sobre a plataforma continental e sobre o mar português, os objetivos da campanha enquadraram-se no âmbito dos vários projetos da EMEPC. Refiram-se, em particular, o desenvolvimento do sistema ROV Luso e a inventariação sobre a biodiversidade marinha no quadro do projeto M@rBis. A divulgação e os resultados da campanha serão orientados para a sua utilização em ambiente escolar através da preparação de atividades pedagógicas a desenvolver com o projeto Kit do Mar e integrados no Sistema Nacional de Informação do Mar (SNIMar).
A campanha EMEPC/PEPC/LUSO/2015 constituiu uma oportunidade para o fortalecimento da colaboração e parcerias com outras instituições através do embarque de técnicos e/ou investigadores, permitindo a execução de programas científicos e/ou de inovação. Os primeiros dias da campanha foram focados no teste de novas tecnologias e materiais para aplicação no ROV LUSO desenvolvidos com o IST/ISR/LARSyS e com o CEiiA

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/PEPC/Luso/2015

EMEPC/PEPC/LUSO/2014

Durante a campanha oceanográfica de 2014, realizada entre os dias 27 de maio e 22 de junho, o objetivo principal foi a recolha de amostras geológicas junto ao bordo setentrional da plataforma continental, na proximidade da Zona de Fratura Maxwell, perto da latitude 48ºN. Mais uma vez a expedição foi realizada a bordo do N.R.P. Almirante Gago Coutinho e o período de treino com o ROV Luso, decorreu ao largo do Cabo de São Vicente, seguindo-se o trânsito até Ponta Delgada, Açores. À semelhança das campanhas realizadas pela EMEPC em anos anteriores, foi constituída uma equipa multidisciplinar de vários técnicos e investigadores com valências nas áreas da robótica, engenharia, geologia, biologia e oceanografia, de modo a tirar partido do conjunto de dados e amostras a serem colhidos durante a campanha oceanográfica. Integraram também a equipa, investigadores de diferentes países no âmbito de colaboração na área de investigação do mar profundo, nomeadamente, de Israel e Cabo Verde. A equipa EMEPC acolheu ainda uma jovem investigadora oriunda da Tailândia que irá receber formação na área da geologia e oceanografia, tendo sido selecionada através do programa de formação de jovens investigadores de países em desenvolvimento da Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/PEPC/Luso/2014

SUBVENT2 - 2014

A campanha SUBVENT-2 (Leg Madeira, realizou-se entre 4 e 10 de abril de 2014 a bordo do navio de investigação espanhol Sarmiento de Gamboa, tendo em vista a aquisição de dados para o suporte da proposta de extensão da Plataforma Continental de Portugal naquela região. A campanha SUBVENT-2 resultou, uma vez mais, da cooperação técnico-científica entre Portugal e Espanha. Participaram, nesta campanha, investigadores portugueses da EMEPC, e pela parte de Espanha estiveram envolvidos investigadores do Instituto Geológico y Minero, Instituto Español de Oceanografia, Universidad de Cádiz, e técnicos da Unidad de Tecnología Marina. O objectivo da Leg ao largo da Madeira esteve relacionado com a investigação da ocorrência de processos de movimento de sedimentos em massa ao longo do talude da ilha da Madeira e da planície abissal adjacente. Foram adquiridos dados de batimeteria multifeixe, sísmica de reflexão de alta e média resolução.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha Subvent2

EMEPC/PEPC/LUSO/2013

Em 2013, a campanha oceanográfica da EMEPC decorreu entre os dias 3 de Junho e 22 Julho, e teve como principais objectivos a recolha de amostras geológicas para a Extensão da Plataforma Continental na macroestrutura King’s Through, localizada no bordo NE da área de extensão da plataforma continental, à latitude 43⁰N, bem como consolidar a autonomia da equipa portuguesa de pilotos e técnicos ROV, a qual tem vindo a ser formada desde 2008. Esta campanha contou ainda com uma terceira LEG, a qual foi também associada à visita do Presidente da República às Ilhas Selvagens. Na LEG 3 foram realizados dois mergulhos, o primeiro nas ilhas Selvagens e o segundo no Banco do Gorringe para recolha de informação biológica no âmbito do Projeto M@rBis.

Enquadrado no apoio a projetos de investigação científica, a EMEPC disponibilizou, durante dois dias, quer o ROV Luso quer a sua equipa de pilotos para efetuar mergulhos no monte submarino Condor com o intuito de recolher dados e amostras biológicas para o projeto CARCACE, desta vez sob a coordenação da Doutora Ana Colaço do IMAR, Açores.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/PEPC/Luso/2013

EMEPC/PEPC/LUSO/2012

A campanha oceanográfica da EMEPC em 2012, que decorreu entre os dias 20 de setembro e 6 de outubro, teve como principal objectivo a recolha de amostras de rocha no bordo sul da área de Extensão da Plataforma Continental de Portugal, junto à Zona de Fractura Hayes. No entanto, ainda no Canhão de Setúbal, após os testes de mar, o ROV Luso e a equipa de pilotos da EMEPC apoiaram o projeto de investigação CARCACE, sob coordenação da Doutora Ana Hilário da Universidade de Aveiro, procedendo à recolha de ossos de vaca que se encontravam no fundo do mar. Já nos Açores foi realizado mais uma vez um mergulho com o ROV Luso no vulcão submarino da Serreta, ao largo da ilha Terceira, para recolha de novas amostras de rocha no âmbito da colaboração com o Projeto TerRiftic liderado pela Doutora Filipa Marques, atualmente a desenvolver a sua investigação na Universidade de Bergen, Noruega.

Durante a LEG 1 da campanha, já à latitude 33⁰N, a equipa a bordo foi confrontada com a aproximação do furacão Nadine. Este facto fez com que o local de amostragem fosse abandonado, tendo a campanha migrado para leste à procura de refúgio no arquipélago da Madeira. Os objetivos da campanha foram, assim, redirecionados para recolha de dados sobre vários montes submarinos ao longo da Elevação Madeira-Tore, longe da influência do furacão. Foram realizados mergulhos na vertente sul da Ilha da Madeira e nos montes submarinos Siene, Josephine, Jo-sister, e Pico Pia com uma recolha significativa de amostras de geologia e biologia.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/PEPC/Luso/2012

EMEPC/PEPC/LUSO/2010

Em 2010 a EMEPC organizou além da campanha oceanográfica para a recolha de dados para o Projeto de Extensão da Plataforma Continental a primeira campanha M@rBis para recolha de informação biológica nas ilhas Selvagens. Ambas as campanhas decorreram em simultâneo entre os dias 2 e 30 de junho, tendo a campanha EMEPC/Açores/Luso/2010 continuado até dia 20 de agosto. Na primeira parte, o ROV Luso a bordo do N.R.P. Gago Coutinho acompanhou a campanha M@rBis realizando mergulhos para a recolha de informação biológica nas zonas mais profundas das ilhas Selvagens.

Depois da campanha M@rBis o ROV dirigiu-se para os Açores para se realizarem mergulhos no offshore da ilha Terceira e no local batizado por Fried Egg, onde se observa uma estrutura particular detectada a partir da batimetria obtida em outras campanhas da EMEPC. Nesta campanha o ROV Luso mergulhou ainda em áreas remotas, localizadas próximo da latitude 45⁰N e longitude 41⁰W para recolha de dados para a Proposta de Extensão da Plataforma Continental nos montes submarinos Altair e Milne.

EMEPC/AÇORES/LUSO/2010

Em 2010 a EMEPC organizou além da campanha oceanográfica para a recolha de dados para o Projeto de Extensão da Plataforma Continental a primeira campanha M@rBis para recolha de informação biológica nas ilhas Selvagens. Ambas as campanhas decorreram em simultâneo entre os dias 2 e 30 de junho, tendo a campanha EMEPC/Açores/Luso/2010 continuado até dia 20 de agosto. Na primeira parte, o ROV Luso a bordo do N.R.P. Gago Coutinho acompanhou a campanha M@rBis realizando mergulhos para a recolha de informação biológica nas zonas mais profundas das ilhas Selvagens.

Depois da campanha M@rBis o ROV dirigiu-se para os Açores para se realizarem mergulhos no offshore da ilha Terceira e no local batizado por Fried Egg, onde se observa uma estrutura particular detectada a partir da batimetria obtida em outras campanhas da EMEPC. Nesta campanha o ROV Luso mergulhou ainda em áreas remotas, localizadas próximo da latitude 45⁰N e longitude 41⁰W para recolha de dados para a Proposta de Extensão da Plataforma Continental nos montes submarinos Altair e Milne.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/PEPC/Luso/2010

EMEPC/AÇORES/LUSO/2009

A importância da Crista Média Atlântica e dos montes submarinos localizados a sul do Arquipélago dos Açores para o Projeto de Extensão da Plataforma Continental levou a que a campanha oceanográfica da EMEPC em 2009, com o ROV Luso a bordo do N.R.P. Gago Coutinho, percorresse estas áreas novamente entre os dias 7 de Setembro e 15 de Novembro. No entanto, esta campanha com a duração de 70 dias, começou com os treinos de mar ao largo de Setúbal, tendo seguido para no Monte Submarino Gorringe, e para a ilha da Madeira. Só depois atravessou o Atlântico até aos montes submarinos a sul do Arquipélago dos Açores, às ilhas do grupo central dos Açores e à Crista Média Atlântica. No total foram percorridos mais de 4500 km (2430 M) e realizaram-se 27 mergulhos com o ROV Luso entre os quais um mergulho no campo hidrotermal Lucky Strike e outro naquele designado por Menez Gwen. Foi nesta campanha que se realizou o mergulho mais profundo do ROV Luso tendo-se atingido os 3250 metros de profundidade na Bacia de Hirondelle, localizada entre as ilhas de São Miguel e Terceira.

Mais uma vez, e seguindo o objectivo da EMEPC de fornecer dados para a comunidade científica no âmbito das Ciências do Mar e do estudo do oceano profundo, foi constituída uma equipa multidisciplinar com investigadores de instituições nacionais de forma a maximizar a recolha de informação obtida a partir do ROV Luso.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/PEPC/Luso/2009

EMEPC/AÇORES/LUSO/G3/2008

A campanha oceanográfica da EMEPC realizada em 2008 decorreu entre os dias 29 de setembro e 28 de novembro, a bordo do N.R.P. Gago Coutinho. Esta campanha revestiu-se de especial importância porque foi a primeira em que se utilizou o ROV Luso. Este equipamento, único em Portugal e adquirido pela EMEPC, permite alcançar os 6000 m de profundidade e aceder às zonas mais profundas da área de Extensão da Plataforma Continental, tendo aberto novas perspectivas para as campanhas promovidas pela EMEPC, bem como para o estudo do oceano do profundo em Portugal. A câmara de alta definição que recolhe imagens de todo o trajeto do ROV durante o mergulho, tanto na coluna de água como no fundo marinho, permite uma observação direta e segura do fundo do mar e monitorizar o processo de recolha seletiva das amostras de geologia e biologia. Para além da amostragem, é ainda possível adaptar o equipamento do ROV às necessidades dos cientistas a bordo podendo ser recolhidas amostras de água, informação sobre correntes e dados de oceanografia entre outros.

Durante esta campanha, que durou 61 dias, houve uma fase inicial de treino com o ROV seguida de cinco LEGs nas quais se percorreu uma grande parte da área de Extensão da Plataforma Continental nomeadamente entre Portugal Continental, o Monte Submarino Josephine, a Bacia de Hirondelle, a ilha Terceira e em particular a zona do vulcão submarino da Serreta e os montes submarinos a sul dos Açores, num percurso com mais de 4000 km (2160 M).

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/Açores/G3/2008

ESPOR 2008

A campanha ESPOR08 - Estudo científico conjunto de ESpanha e PORtugal para a Extensão da Plataforma Continental na margem do Banco da Galicia, realizou-se entre 12 e 19 de Novembro de 2008 a bordo do navio de investigação espanhol Hespérides. Esta campanha resultou de um acordo de cooperação técnico-científica entre Portugal e Espanha visando a coordenação dos respetivos projetos de extensão da plataforma continental. Neste âmbito, estiveram envolvidos investigadores de instituições de ambos os paises, tendo sido Portugal representado pela EMEPC, e Espanha pelo Instituto Geológico y Minero, Instituto Hidrográfico de la Marina, Instituto Español de Oceanografia e a Unidad de Tecnología Marina. A campanha ESPOR 08 teve como principal objectivo investigar a natureza e a estrutura profunda da margem continental na região do Banco da Galiza, assim como do seu prolongamento para oeste. Este objectivo foi cumprido mediante a realização uma linha de sísmica de refracção recorrendo a 9 sismógrafos instalados no fundo marinho (OBS, Ocean Bottom Sismograph). Na referida campanha foram igualmente adquiridos dados de batimetria multifeixe, sísmica de reflexão de alta resolução e gravimetria.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha ESPOR2008

EMEPC/G3/AÇORES/2007

A EMEPC, entre os dias 15 de maio e 22 de junho de 2007, realizou a primeira campanha oceanográfica em que o principal objectivo foi a recolha de amostras geológicas do fundo do mar. A área escolhida para a realização desta campanha localizou-se entre as ilhas do arquipélago dos Açores à latitude 38ºN e o Monte Submarino Great Meteor à latitude 29ºN. Nesta vasta área foram realizadas, a bordo do navio S.J. Kommandor Jack, 38 operações de dragagem com a recolha de cerca de 200 amostras. Os locais alvo de dragagem foram, na região dos Açores, a Bacia de Hirondelle e as vertentes submarinas das ilhas Terceira e São Jorge, e mais a sul, a ponta este da Zona de Fractura Oceanographer, o bordo sul da Plataforma dos Açores e os montes submarinos Atlantis, Plato, Irving, Hyeres e Great Meteor. Além da presença de vários geólogos foi constituída uma equipa multidisciplinar de investigadores de diversas instituições nacionais e internacionais, de forma a maximizar a recolha de informação durante a campanha em diversas áreas de investigação o que permitiu a recolha de sedimentos através de corers gravíticos, a obtenção de dados de hidrografia, gravimetria, magnetismo, biologia, microbiologia e oceanografia.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha EMEPC/G3/Açores/2007

PORTUGAL SEISMIC SURVEY - 2006

Em 2006 a EMEPC realizou a sua primeira campanha oceanográfica, com o objectivo de recolher dados sobre o solo e subsolo do fundo do mar ao largo de Portugal Continental e a oeste da ilha da Madeira, para incluir na fundamentação da Proposta de Extensão da Plataforma Continental. Para tal, procedeu-se à recolha de dados de sísmica de reflexão multicanal o que implicou a utilização do navio russo R/V Akademik Shatskiy equipado com airguns de 5700 cm3 e streamers com cerca de 8000 m de comprimento. Entre os dias 3 de junho e 12 de julho de 2006 percorreram-se cerca de 3000 km (1620 mn) e realizaram-se 9 linhas sísmicas ao largo de Portugal Continental e a oeste da ilha da Madeira, tendo-se obtido os perfis sísmicos pretendidos.

COOPERAÇÃO EM CAMPANHAS

A capacidade operacional da EMEPC permite-lhe alargar as possibilidades de realização de campanhas oceanográficas em colaboração com instituições de outros países, de carácter público ou privado.

Em 2014, em colaboração com instituições espanholas foram realizadas duas missões com o ROV Luso a bordo do navio oceanográfico espanhol Sarmiento de Gamboa.

CAMPANHA OOM2018

Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) colaborou na Campanha Oceanográfica OOM-2018 do Observatório Oceânico da Madeira a bordo do NRP Almirante Gago Coutinho do Instituto Hidrográfico. Investigadores do OOM embarcaram para fazer recolha de dados oceanográficos oportunísticos entre a ilha da Madeira e as Ilhas Selvagens. Os registos foram feitos com os equipamentos ADCP e uCTD, que foram operados por técnicos da EMEPC. Após 1840 milhas percorridas e mais de 715 horas de navegação, o navio hidrográfico Almirante Gago Coutinho terminou a sua missão na Madeira, onde se encontrava desde o dia 29 de junho. Durante este período, o navio realizou várias atividades científicas em colaboração com o Observatório Oceânico da Madeira, das quais se destacam as operações com o ROV (Remotely Operated Vehicle) LUSO da EMEPC, que possibilitaram a descoberta de um jardim de corais a sul da ilha da Madeira na zona da Ribeira Brava, e os levantamentos oceanográficos para estudar a interação atmosfera-oceano na costa sul da ilha da Madeira.

Equipa de Pilotos ROV na Campanha OOM 2018

EXPEDIÇÃO OCEANO AZUL - 2018

No âmbito da expedição científica Oceano Azul, foi descoberto um novo campo hidrotermal nos Açores. Localizado a 570 metros de profundidade, no monte submarino Gigante, a 60 milhas da ilha do Faial, este novo campo hidrotermal é uma zona de elevada riqueza biológica e mineral.

É a primeira vez que uma expedição organizada por uma instituição portuguesa, liderada por cientistas Portugueses e utilizando navios e meios nacionais localiza um campo hidrotermal em águas profundas no nosso território marítimo.

 

Chaminé do novo campo onde é visível a atividade hidrotermal.

 [Imagem cedida por ROV "LUSO" Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental]

A expedição, é organizada pela Fundação Oceano Azul em parceria com a Waitt Foundation e a National Geographic Pristine Seas, e em colaboração com a Marinha Portuguesa através do Instituto Hidrográfico, o Governo Regional dos Açores e a Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) com o ROV "LUSO". Esta é uma das mais completas expedições realizadas em águas nacionais, e tem como objetivo explorar zonas ainda pouco conhecidas do mar dos Açores para promover a conservação marinha no âmbito do programa "Blue Azores".

 

Participam na expedição cientistas de diversos centros de investigação nacionais, como o IMAR, o MARE, o CCMAR, o CIBIO e a Universidade dos Açores, e internacionais da Universidade do Hawaii, da Universidade da Califórnia em Santa Barbara, da Universidade de Western Australia, e do CSICIEO e Museu do Mar de Ceuta em Espanha.

A bordo do navio "NRP Almirante Gago Coutinho" empenhado na missão do Projeto de Mapeamento do Mar Português do Instituto Hidrográfico, a equipa científica dedicada ao estudo dos ecossistemas do mar profundo descobriu, através de mergulhos com o ROV "LUSO" da EMEPC, um novo campo hidrotermal.

 

 

 

 

 

Mapa do monte submarino Gigante (em cima à direita) sendo visível a separação entre as placas americana e europeia

[Imagem cedida pelo Instituto Hidrográfico da Marinha Portuguesa]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mergulho do ROV "LUSO" visto à ré do navio hidrográfico NRP "Almirante Gago Coutinho"

[Imagem cedida pela Fundação Oceano Azul da autoria de Nuno Sá]

CAMPANHA MOWER14-LEG1

A campanha MOWER14 Leg 1, realizou-se na área do Golfo de Cádiz e no âmbito do projeto de investigação espanhol com o mesmo nome, entre 1 e 12 de setembro de 2014 a bordo do navio de investigação espanhol Sarmiento de Gamboa. O principal objetivo deste projeto consiste em estudar os aspectos erosivos e depósitos arenosos associados à Água Mediterrânica ao longo da Ibéria, e as suas implicações paleoceanográficas, sedimentares e económicas. Após o sucesso da campanha SUBVENT-2,a realização da campanha MOWER14 Leg 1 representou mais uma oportunidade de cooperação técnico-científica entre Portugal e Espanha, mediante a utilização do ROV Luso da EMEPC. Na referida campanha, participaram, para além dos técnicos do ROV Luso, investigadores de diversos paises e instituições, nomeadamente, de Portugal, Espanha, Itália e Reino Unido. A campanha MOWER14 Leg 1 teve como principal objectivo investigar a morfologia e a natureza da cobertura sedimentar dos canais talhados pela circulação da Água Mediterrânica, também designada por MOW (Mediterranean Outflow Water). Deste modo, foram efectuados diversos megulhos utilizando o ROV Luso, procedendo-se, igualmente, à recolha de amostras biológicas, de sedimentos e rocha.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha Mower14

Navio de investigação espanhol Sarmiento de Gamboa, onde foi realizada a campanhas MOWER em 2014

Amostragem realizada pelo ROV LUSO na campanha MOWER

CAMPANHA SUBVENT-LEG2

Entre 9 de março e 13 de abril de 2014 decorreu a campanha SUBVENT-2, uma expedição conjunta de exploração do fundo do mar com o ROV Luso que permitiu recolher imagens dos fundos marinhos profundos do Golfo de Cádis, das Canárias e da Madeira. A bordo do navio oceanográfico espanhol “Sarmiento de Gamboa”, esta expedição resultou da cooperação científica entre Portugal e Espanha e teve como objetivo principal amostrar e analisar os vulcões de lama existentes no Golfo de Cádis entre os 1.000 e mais de 3.000 metros de profundidade. Nas Canárias foram também recolhidas, pela primeira vez, imagens submarinas de todo relevo vulcânico formado durante a útima erupção ao largo da ilha de El Hierro com início no final de 2011.

Equipa de participantes técnico-científicos na campanha Subvent 2

CONTACTOS  

Telefone: +351 213 004 165

Fax: +351 213 905 225

Email: info@emepc.mm.gov.pt

 

Morada: Rua Costa Pinto, n.º 165

2770-047 Paço de Arcos - Portugal

Morada Postal: Apartado 1139

2771-901 Paço de Arcos

LINKS ÚTEIS  

DGRM_Logotipo_1C_PT_White_RGB.png

EMEPC - Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental  © Todos os direitos reservados, 2019