URL

Sistema de Informação para a Biodiversidade Marinha – M@rBis

 

dive56_9357_emepc_mrbis_2012_28092012_athila_bertoncini.jpg

athila2_98.jpg

dsc_4733.jpg 

O M@rBis (Marine Biodiversity Information System) é um sistema de georeferenciação da biodiversidade marinha nacional. Tem como principais objetivos a compilação e integração de dados sobre a biodiversidade marinha nacional e a gestão dessa mesma informação. São igualmente objetivos do sistema M@rBis o desenvovimento de um catálogo de biodiversidade marinha portuguesa e dos possíveis detentores de dados, fornecendo uma valiosa ferramenta de pesquisa para toda a comunidade científica; recuperar informação histórica, promovendo o acesso e a partilha de dados e assim contribuir para a rede global de investigação, monitorização e conservação do oceano e prestar apoio na identificação das espécies e habitats relevantes para a conservação da natureza. 

 

O sistema M@rBis foi concebido para servir de ferramenta de apoio à decisão especialmente no processo de extensão da Rede Natura 2000 (RN2000) ao meio marinho e é coordenado e desenvolvido pela Estrutura de Missão para a Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) no quadro dos requisitos técnicos e científicos recomendados pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e com o apoio da comunidade científica portuguesa, laboratórios de estado e laboratórios associados portugueses. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Campanhas EMEPC/M@rBis

A campanha EMEPC/M@rBis/Algarve2013, no seguimento do que se tem feito em anos anteriores (2010, 2011 e 2012),  tem como principal objetivo a inventariação e caracterização das espécies e dos habitats marinhos da costa sul de Portugal. 

A equipa EMEPC, em conjunto com mergulhadores, equipas de biólogos marinhos e especialistas em identificação de flora e fauna marinhas, pretende amostrar, identificar e cartografar os valores da biodiversidade aí existentes. 

Adicionalmente, estarão a bordo equipas científicas que desenvolveram projetos específicos a realizar nesta área de Portugal continental. Durante a campanha, todos os trabalhos terão início com amostragens em pontos de mergulho previamente selecionados. O resultado dessas amostragens – censos visuais, colheitas pontuais, raspagens de áreas confinadas (por quadrados de amostragem 25x25 cm2) – é levado para bordo do NTM “Creoula” e triado. Esta triagem, ou separação por grandes grupos taxonómicos, é efetuada por outras equipas, que com o auxílio de guias de identificação e lupa binocular (com máquina fotográfica incorporada) executa a primeira catalogação dos espécimes trazidos. De seguida, todas as amostras são acondicionadas em recipientes específicos (frascos, tubos, sacos de congelamento), devidamante etiquetadas e segundo um determinado método de conservação (a frio, em álcool, a seco). 

Posteriormente, e já em terra, todas as amostras sofrem uma triagem mais pormenorizada: no laboratório, com auxílio de lupas binoculares, microscópios, guias de identificação detalhados, as amostras são analisadas e separadas com maior minúcia, isto é, em grupos taxonómicos mais específicos. Atingindo esta fase, as amostras podem seguir diversos percursos, nomeadamente, a cedência a grupos de trabalho de universidades ou laboratórios (de estado ou associados) nacionais ou internacionais, a investigadores especialistas numa determinada área, constituírem coleções de referência em museus, etc.. 

Por último, toda a informação gerada é carregada no sistema M@rBis, permitindo desta forma cartografar a biodiversidade marinha da área amostrada. 

dive56_9484_emepc_mrbis_2012_28092012_athila_bertoncini.jpg

 

 

se257669.jpg

     2806_4891_arturo_boyra.jpg

FaLang translation system by Faboba

Contactos


Telefone: +351 213 004 165

Fax: +351 213 905 225

Informações sobre o

Projeto de Extensão da Plataforma Continental:

Email: info@emepc.mm.gov.pt

Morada: Rua Costa Pinto, N.º 165

2770-047 Paço de Arcos - Portugal

Morada Postal: Apartado 1139

2771-901 Paço de Arcos 

Siga-nos